CONTATO | SIGA A SBC

Constata-se que no âmbito das altas habilidades/superdotação o ensino tradicional, na maioria das vezes, falha e se torna desinteressante, uma vez que tende a ignorar o papel ativo do aluno no processo de aprendizagem, homogeneizando interesses e percursos, estabelecendo a validade de determinados conteúdos e ignorando outros, cerceando a criatividade e as rotas alternativas de construção de conhecimento. Com isso, o Brasil termina por desperdiçar o seus talentos, sem que haja programas específicos que promovam o desenvolvimento das potencialidades destes jovens, traduzindo-as em ações de pesquisa e inovação que garantam ao país o avanço nesta seara exigido pela contemporaneidade. Defende-se aqui que a tecnologia pode promover o desenvolvimento de potencialidades, na medida em que estimula a flexibilidade cognitiva, além de possibilitar o empoderamento pelo sujeito, de seu processo de aprendizado.

Ao serem integradas tecnologias no curriculum de aprendizes com Altas Habilidades, estes tornam-se capazes de desenvolver maior autonomia em seu processo de aprendizagem, trabalhar a partir de seu próprio ritmo e nível de habilidade, criar produtos inovadores e originais, se empoderar de novos papéis de liderança, pesquisar independentemente, explorar tópicos com maior profundidade e amplitude, bem como pensar criticamente em situações do dia a dia. Sendo assim, o Instituto Metrópole Digital da UFRN inova ao propor o Programa Talento Metrópole. O Programa possui uma estrutura básica composta por dois semestres. Porém, ao término desta fase inicial, o aluno pode optar por permanecer no Programa, apresentando semestralmente Plano Individual de Atividades. Este deve refletir os interesses e motivações do aluno, tendo sido aprovado pelo tutor e pela coordenação do programa. O objetivo é acompanhar sistematicamente o aluno durante a sua formação nos diferentes níveis: técnico, graduação e pós-graduação. Vale ressaltar que o Programa Talento Metrópole prevê a possibilidade de quebra da hierarquia na formação dos alunos, substituindo a formação progressiva pela formação transversal, uma vez que é preciso considerar que jovens altas habilidades/superdotação podem desenvolver suas habilidades em nível superior, mobilizando formas de pensamento mais complexas (incluindo o pensamento crítico e criativo) que são extensões do currículo regular.

No primeiro semestre o aluno desenvolverá em parceria com o tutor um Plano Individual de Atividades. Neste deve conter as disciplinas vinculadas ao Programa que ele irá cursar. Estas deverão abarcar temáticas inerentes ao domínio da tecnologia da informação, o desenvolvimento do pensamento científico, a inovação e o empreendedorismo, bem como línguas estrangeiras. Ao final do semestre, o aluno deverá apresentar um projeto de pesquisa, inovação ou extensão vinculado a um dos núcleos temáticos nos quais ele realizou as oficinas. No segundo semestre, um novo Plano Individual deve ser apresentado pelo aluno e seu tutor. Este deverá resgatar e ampliar, de forma detalhada, a proposta de pesquisa, inovação ou extensão, apresentada ao final do primeiro semestre. Adicionalmente, os alunos participam de diferentes atividades tais como, Cine Talento Metrópole, Cursos de Curta Duração, preparação para Olimpíadas e Desafios na área de TI, além de eventos científicos.

 

Coordenadores:
Izabel Hazin, Alyson de Souza e Juliana Reis
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Tel: (84)  3342.2216 ramal 156
Site: https://www.imd.ufrn.br/portal/talento-metropole